O “pessimismo sentimental” e a experiência etnográfica: por que a cultura não é um “objeto” em via de extinção – Marshall Sahlins

asociedadeprimitiva-128.jpg

Mana, abr. 1997, vol.3, no.1, p.41-73. ISSN 0104-9313.
Mana, out. 1997, vol.3, no.2, p.103-150. ISSN 0104-9313.

Este artigo (publicado em duas partes) examina e refuta as críticas ao conceito de cultura. A identificação pós-modernista da “cultura” com o colonialismo e o imperialismo é um diagnóstico falso: o contexto histórico-ideológico de gestação da idéia de cultura, marcado pela reação ao universalismo iluminista, aponta na direção oposta. Por sua vez, as ansiedades sobre o fim iminente da variedade cultural humana se mostram sem objeto: a globalização e outras peripécias capitalistas, longe de impor uma hegemonia monótona sobre o planeta, têm gerado uma diversidade de formas e conteúdos culturais historicamente sem precedentes

Download do artigo: Parte I  e Parte II

 

 

1 Comment

Filed under Academics, Anthropology, Articles, Capitalism, Culture, Download, History, Imperialism, Mana, Marshall Sahlins, Philosophy, Society, Texts

One response to “O “pessimismo sentimental” e a experiência etnográfica: por que a cultura não é um “objeto” em via de extinção – Marshall Sahlins

  1. ei, adorei o blog. mto legal essa disponibilização de material… obrigada!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s