28a Bienal de São Paulo – Projeto: “Em vivo contato”

conferencia-peq.jpgA 28a Bienal de São Paulo, que ocorrerá em outubro deste ano, terá a curadoria de Ivo Mesquita, curador da Pinacoteca do Estado de São Paulo. A fundação, que um ano antes de cada edição abre, publicamente, um edital para ingresso de propostas, escolheu o “Em vivo contato” para ser efetivado. Abaixo, a proposta.

Link da fundação: http://bienalsaopaulo.globo.com/fundacao/index.asp

28ª Bienal de São Paulo

“Em vivo contato”

Curador: Ivo Mesquita
Curadores adjuntos: Ana Paula Cohen e Thomas Mulcaire
Datas (a confirmar): 19 de Outubro a 30 de Novembro de 2008
As Premissas

Em 1951, no texto de abertura do catálogo da I Bienal do Museu de Arte Moderna de São Paulo, Lourival Gomes Machado, Diretor Artístico do museu, escrevia:

“Por sua própria definição, a Bienal deveria cumprir duas tarefas
principais: colocar a arte moderna do Brasil, não em simples confronto, mas
em vivo contato com a arte do mundo, ao mesmo tempo em que, para São Paulo
se buscaria conquistar a posição de centro artístico mundial”. (pg. 14).

O tom otimista, a retórica cheia de esperanças, o engajamento e o
compromisso com um tempo de reconstrução do mundo depois dos terríveis
episódios da II Guerra Mundial, soam hoje como uma profecia, o lançamento de
uma utopia, que cinqüenta e oito anos depois parece ter constituído o seu
lugar: São Paulo converteu-se sim num centro artístico internacional, uma
cidade cosmopolita, uma referência na cena artística globalizada, enquanto o
Brasil tornou-se um ponto de atração para artistas, curadores, galeristas,
colecionadores internacionais, e artistas brasileiros consolidaram presenças
sólidas no debate sobre a produção de visualidade contemporânea. Está claro,
portanto, que aqueles objetivos foram alcançados, a tarefa a que ela se
propunha em 1951 parece estar terminada.

Então, a pergunta que se coloca é: não seria o momento da Bienal de São
Paulo avaliar suas produções e, talvez, considerar a possibilidade de ter
que se re-colocar diante de uma cidade com seis museus de arte, centros
culturais ativos e diversificados, todos os espaços com programações
sistemáticas de arte contemporânea local e internacional (Vários com
orçamentos proporcionalmente maiores que o da FBSP)? Sem deixar de lembrar o
panorama de coleções particulares importantes e representativas, e o mercado
respeitável, com presença internacional, que ela ajudou a consolidar, a
Bienal não é apenas de São Paulo, portanto, que papel ela desempenha hoje,
como instituição pioneira no país e no continente, uma vez que também esses
circuitos cresceram e se profissionalizaram, sendo parte de um sistema
cultural globalizado? Talvez, um processo de auto-reflexão pudesse apontar
para a compreensão e possível solução de ajustes pontuais da instituição.

Os processos da globalização chegaram aos territórios da cultura e as
bienais tornaram-se, desde o final dos anos 80 do século passado, a
estratégia mais usada por cidades e suas elites econômicas e políticas para
ganharem visibilidade na aldeia global. O mesmo modelo de exposição de
arte – e vale lembrar que ele vem do século XIX – que orientara a criação da
Bienal de São Paulo, com o intuito de estabelecer um centro artístico
internacional e promover a cultura local em um circuito ampliado, parece
ainda ser eficiente ao tempo do fim das fronteiras nacionais. Já são quase
duas centenas de bienais ao redor do mundo, algumas das quais inspiradas não
só na de Veneza, mas também na de São Paulo, todas mais ou menos trabalhando
questões semelhantes, mostrando as diversas práticas artísticas que
constituem os territórios da visualidade hoje. Está evidente que é preciso
definir caminhos. Que avaliação faz a Bienal de São Paulo desse fenômeno
cultural, que se propaga pelos países até então chamados de periféricos ou
em regiões de grande tensão política e cultural? Qual o papel de uma bienal
na era da globalização? Qual o papel das bienais na indústria cultural, do
turismo e do espetáculo? Que contribuição a Bienal de São Paulo pode trazer
ao debate dessa questão com base na sua experiência, já que ela é a terceira
organização mais antiga e a primeira fora dos centros hegemônicos?
Sistematizar uma reflexão sobre as bienais hoje, re-avaliando suas próprias
qualidades e objetivos, revendo a sua vocação, pode representar uma
possibilidade da Bienal de São Paulo definir um novo papel de protagonista
entre as tantas mostras de artes visuais periódicas que povoam o mundo no
século XXI.

Recentemente, um novo fenômeno no circuito, as feiras de arte, parece também
ter entrado em competição com as bienais. Artistas freqüentam ambos os
eventos, enquanto curadores incluíram a primeira como espaços privilegiados
de pesquisa e levantamento de perspectivas para ler a contemporaneidade. Mas
elas não são a mesma coisa: enquanto a primeira é um espaço eminentemente
comercial, de venda, a segunda quer ser de trocas e confrontos entre
artistas, curadores, críticos e o público de Arte. O que há sim é uma
relação pouco transparente entre essas duas instâncias, embora nada de grave
ou errado, até aqui. Afinal é notável o fato de que muitos dos projetos
importantes desenvolvidos por artistas e apresentados em bienais, só foram
possíveis porque foram financiados por suas galerias. E isso não é mau em
si. O problema está em as bienais, tradicionais instâncias legitimadoras da
arte contemporânea, só sobreviverem como agentes de ponta de um mercado
ávido por carne fresca e pela última insolência de artistas rebeldes,
coladas com fita crepe, mas com potencial de mercadoria sofisticada. Pior,
considerando a perspectiva local inserida num circuito global em que as
bienais operam, elas correm o risco de se tornar provedoras do exotismo para
consumo, de espaços de interação com a alteridade (diversidade cultural,
racial, econômica), e dos álibis políticos e sociais para a economia
globalizada do capitalismo transcontinental.

O modelo parece criticamente exaurido, banalizado (nada de novo, pois já se
falava disso ao final dos anos 60, e então elas, as bienais, eram pouco mais
que doze!).

Talvez, neste momento, todas as bienais careçam de uma pausa para reflexão,
de sistematizar conhecimento e experiência, e procurar especificidade,
pertinência, uma vez que Diante do fluxo incessante da produção de imagens e
trabalhos, da diversidade das práticas artísticas, da voracidade da economia
que alimenta o circuito, talvez as bienais pudessem ser ainda agentes da
internacionalizaçã o e do cosmopolitismo, se fundadas nas singularidades do
seu lugar de origem, nas demandas imediatas da região em que se inscrevem,
no conhecimento e aprofundamento de questões, sintomas, referências que
informam a produção de visualidade no mundo contemporâneo. Trata-se, talvez,
de redirecionar sua vocação para, em lugar de tentar produzir uma visão
totalizante e representativa do fenômeno da Arte da atualidade, delinear
especificidades, produzir cartografias detalhadas, pondo em marcha um
processo de trabalho investigativo e crítico, regular e sistemático, que
acompanhe e dê conta de modo produtivo dos movimentos e transformações
percebidos num circuito determinado, assim como das reverberações que eles
causam e ecoam.
—————————————————————
A Proposta
A proposta para a 28ª BSP é que seja repensada a mecânica com que a FBSP vem
produzindo as sucessivas bienais desde 1951, abrindo desse modo um intervalo
na história da exposição, para dar lugar à meditação, considerando o curto
período para planejamento e organização de uma mostra nos padrões
tradicionais da Fundação, as possíveis limitações na captação de recursos,
e, principalmente, o aparente descompasso entre o modelo atual da mostra e a
realidade onde ela se inscreve, seja local, seja internacionalmente. Um
processo de análise da sua condição atual poderá apontar perspectivas para
um novo tempo na história da Fundação Bienal de São Paulo, revelando mais
uma vez uma atitude audaciosa e vanguardista, instaurada por Ciccillo
Matarazzo, respondendo aos desafios que se apresentam a ela no século XXI, e
honrando sua tradição de renovação ao longo de 56 anos de vida.

A 28BSP se articulará a partir de quatro componentes: uma biblioteca e
arquivo sobre a questão das bienais no circuito artístico contemporâneo,
centrados no acervo do Arquivo Wanda Svevo da FBSP, e que servirá de suporte
para o ciclo de conferências a ser realizado entre outubro e novembro
(período de 40 dias); uma praça, o espaço aberto à cidade, um lugar para
encontros e acontecimentos, marcando uma abertura da instituição às energias
que vêm do seu entorno; entre eles, o segundo andar do pavilhão, totalmente
vazio, materializando o gesto de busca por novos conteúdos e publicações,
que sistematizarã o as idéias e trabalhos desenvolvidos. O objetivo é colocar
a Bienal de São Paulo “em vivo contato” com a sua história, com a sua
cidade, com seus pares, com o mundo e o seu tempo.

A – Praça
Os espaços do primeiro andar e do térreo na extremidade do edifício terão
uma ocupação diferente, abrindo para outra disposição e uso, desenhando
outra proposta de relação da Bienal com o seu entorno, o parque, os outros
museus, a cidade. No primeiro andar, na parte que corresponde ao princípio
da rampa de acesso ao segundo andar e se estende até o mezanino, que se
projeta como observatório sobre o térreo, serão colocados os serviços da
exposição (bilheteria, receptivos, livraria, informações, meeting point,
monitores, banheiros, lanchonete, elevadores etc) e um conjunto de lounges
para internet, vídeo, dvds, com mobiliário especialmente desenhado para o
espaço, uma extensão da Biblioteca no terceiro andar.

A partir da rampa descendente ao térreo, serão removidos os caixilhos e
vidros que hoje fecham aquela área (eles serão reinstalados posteriormente) ,
restauradas as magníficas jardineiras que ali um dia existiram, e o espaço
será reabilitado como uma grande praça, conforme o desenho original do
projeto de Oscar Niemeyer. Aí terá lugar uma série de acontecimentos pelo
período de seis semanas da exposição. Articulada a partir de um mobiliário,
criado especialmente para permitir a construção de pequenos palcos, arenas,
salas de conversa, a praça será um espaço polivalente, onde acontecerão
performances, apresentações musicais, conversas com artistas, críticos,
curadores, músicos, escritores, arquitetos, pontuadas por projeções de
filmes, performances, grandes festas públicas, por artistas nacionais e
internacionais.

A praça quer ser um espaço democrático, a ágora na tradição da polis, um
território de encontros, confrontos, fricções. Um espaço para gerar energia,
permitir a aeração do prédio, dos objetivos e programas da instituição. Como
já mencionado acima, abrir esta parte do edifício tem, além do sentido
simbólico da Bienal de São Paulo abrir-se para rever e reafirmar seu lugar
na cidade, ele é gesto de resgate do projeto original do pavilhão, pensado
como uma praça para exibição de grandes equipamentos industriais, a serem
contemplados dos terraços do mezanino.

B – O Vazio
A exposição do espaço vazio do segundo andar do pavilhão será um gesto
radical de afirmação deste momento para elaborar e analisar sobre o modelo
das bienais, seu papel no mundo contemporâneo. Esse gesto simbólico toma o
vazio como o lugar onde as coisas são em potência, por isso pleno e ativo,
ao contrário de uma manifestação niilista, onde as coisas deixam de ser e
perdem o sentido. Ele é fonte geradora, o território do devir, com
possibilidades de múltiplos caminhos para ser cruzado.

Apresentado com teatralização para acentuar seu caráter simbólico para que a
exposição instaure um momento de reflexão, o espaço vazio remete primeiro à
avaliação de um processo de verificação do seu estado ou qualidade, e,
segundo, à intensa atividade artística que toma a cidade por ocasião das
bienais.

C – Biblioteca: Conferências, Documentos, Arquivo, Website
No terceiro andar, no espaço climatizado, será instalada uma grande
biblioteca, composta por um arquivo, um auditório, uma arena, uma sala de
reuniões, uma sala de leitura grande, uma sala fechada para computadores e
acesso a rede eletrônica, e uma coleção de catálogos, se possível, de todas
as bienais no mundo hoje. Com o mesmo espírito da Praça no térreo, esse
segmento tem como função ser o centro gerador de um conhecimento
sistematizado sobre a própria Bienal de São Paulo, o modelo das bienais, o
que elas representam, para pensar que futuro se pode querer para elas. Se a
praça no térreo é o espaço do encontro, da energia epidérmica, sob a
regência da intuição e dos sentidos, o conjunto do terceiro andar é o
território da razão, o tempo e o lugar do registro da experiência, de colher
e sistematizar o conhecimento, e pôr em prática uma reflexão organizada.
Este segmento será articulado a partir do acervo dos Arquivos Históricos
Wanda Svevo, o único e mais valioso patrimônio da Fundação Bienal de São
Paulo, a sua memória. É ele quem melhor pode contar o valioso trabalho
realizado pela FBSP na formação do meio artístico brasileiro, desde a
constituição do Museu de Arte Moderna de São Paulo, em 1949.

Se essa Bienal se propõe como um momento de reflexão sobre o papel da
instituição e seu projeto para arte contemporânea, levando em conta uma nova
realidade local e internacional, ele requer uma revisão histórica das
bienais de São Paulo, seu lugar no quadro das instituições de arte no
Brasil, assim como uma discussão aprofundada sobre o modelo em que ela
opera, replicado a todo instante em algum lugar no planeta. A Biblioteca se
constituirá de um conjunto de documentos, livros, depoimentos (ex-curadores,
artistas, críticos, intelectuais) selecionados e organizados com a
colaboração de artistas, e propostos ao público como possíveis entradas para
a história das Bienais de São Paulo, de outras bienais, da economia e
cultura que elas representam. Será um espaço de pesquisa e reflexão, aberto
ao público, e que deverá prover subsídios para o conhecimento e a
compreensão da instituição e do modelo cultural que representa.

Assim como os outros componentes da mostra, o mobiliário e equipamentos para
esse segmento também será objeto de trabalho encomendado a
artistas/designers/ arquitetos. Por outro lado está sendo considerado o
convite a alguns artistas, que investigam por meio de seus trabalhos os
limites entre documento e representação, linguagem e leitura, a história e a
ficção, para, a partir do material existente nos arquivos da FBSP,
produzirem leituras dele, em trabalhos e intervenções que serão incorporados
posteriormente ao acervo dos Arquivos Wanda Svevo.

O ciclo de conferências será organizado a partir de quatro grandes entradas:
1) a BSP e o meio artístico brasileiro;
2) agentes oficiais e privados da globalização reunindo agencias
governamentais, ONGs, fundações públicas e privadas, todas organizações
fundamentais nas estratégias das bienais;
3) o modelo e o sistema das bienais, reunindo diretores e curadores do maior
número possível de organizações;
4) uma conferência ou painel, de caráter mais teórico e filosófico, visando
organizar uma reflexão sobre conceitos e parâmetros envolvidos no projeto
curatorial da 28BSP.

Os trabalhos desenvolvidos serão registrados em publicações específicas,
documentando os e produzindo um documento atualizado sobre o sistema das
bienais, sua economia, desempenho e possibilidades no século XXI. No quadro
dessa proposta de trabalho, o website da 28BSP será um dispositivo de
fundamental importância por criar na rede, além de um espaço de difusão do
evento e acompanhamento do seu processo de produção, um instrumento
eficiente para acesso e troca de idéias com interessados no tema em toda
parte do mundo.

As Publicações:
As publicações são parte integrante do projeto da 28ª BSP, constituindo um
de seus elementos fundamentais. Os volumes principais só poderão ser
lançados depois do fim exposição, com o encerramento dos programas
realizados na Praça e na Biblioteca durante o período da mostra. Para a
abertura, estarão disponíveis o guia da exposição e o programa das
conferências, além de depoimentos e atividades na praça.

O Programa Educativo:
Um dos principais desafios da 28BSP será o seu programa educativo.
Considerando que o tema da Conferência é a própria Bienal e o que será
apresentado é o 2º andar vazio entre dois campos de intensa energia (a
Praça – a intuição e os sentidos; a Biblioteca – a razão sistematizada) ,
pode-se pensar que esse conjunto permitirá o desenvolvimento de uma série de
atividades em torno a experiências do vazio como o território da
criatividade. Em outras palavras, o território do vazio é o lugar onde a
intuição e a razão encontra solo propício para fazer emergir as potências da
invenção na arte. Outro caminho importante será a recuperação das memórias
das bienais de São Paulo para o público. Serão desenvolvidos uma série de
atividades que mostrem as contribuições dessas mostras para a formação do
meio artístico brasileiro e para a história da arte.

15 Comments

Filed under aesthetics, Anthropology, Arts, Bienal, events, History, Philosophy, projects, São Paulo, Sociology

15 responses to “28a Bienal de São Paulo – Projeto: “Em vivo contato”

  1. Olá.

    Após acessar seu site, tomamos a liberdade de oferecer um excelente produto para sua empresa ofertar como BRINDE aos seus amigos, fornecedores e funcionários.
    O vinho espumante MONTEZZINO é suave, leve de álcool (10,5 %), e ideal para brindar as festa de final de ano. Possui também uma embalagem bonita e sofisticada, Excelente custo benefício.
    Acesse o SITE http://www.montezzino.com.br e conheça mais sobre nosso vinho e suas vantagens.

    Atenciosamente

    Casa Montezzino
    11 4108 7551

  2. Apresentamos a você a ferramenta mais fácil para você produzir seu site sem necessitar conhecimento em linguagem de programação de Internet.

    Veja nosso portfolio e assista as vídeo-aulas.

    Visite: http://www.seusiteja.com.br

    O melhor Construtor de Sites do mercado.

  3. Olá!
    Meu nome é Leonardo
    Sou do Projeto CURA- Consumo e Uso Racional da Água
    Reduz até 50% o valor de sua conta de agua, SEM CUSTO PARA VOCÊ. 100% SUBSIDIADO PELA CONCESSIONÁRIA.
    Ligue-me AGORA para tirar suas dúvidas.
    Meu tel. é 11 7840.3387

    a)AMPEREMATIC DO BRASIL

  4. Aqui voce encontra seu plano de saude,
    Atendemos todo estado de Sao paulo
    fones:(011) 3217-2039 / 7409-1325
    http://www.planosdesauderamed.com.br

    QUAL E O BEM MAIS VALIOSO DA SUA EMPRESA?

    Se sua resposta diz respeito aos funcionários, aqui começa uma parceria de sucesso, porque nós, da RAMED, temos certeza de que vale a pena investir na proteção daqueles que são a base de todo empreendimento bem sucedido.
    É por isso que há 25 anos nossa Consultoria compara e oferece as melhores opções em planos de assistência médica e odontológica para a sua empresa, tendo como princípios fundamentais agilidade, ética e transparência.

    A Ramed conta com um amplo portifólio de produtos e uma equipe formada por especialistas capacitados para analisar sua empresa de forma aprofundada, identificando particularidades e necessidades específicas.É dessa forma que oferecemos soluções sob medida e perfeitamente adequadas à sua Empresa.

  5. VIVO EMPRESAS ES

    VIVO INTERNET 3G A PARTIR DE 39,90 MENSAIS.

    MODEM EM COMODATO

    ACESSE A INTERNET MÓVEL EM ALTÍSSIMA
    VELOCIDADE

    * MODEM VINCULADO AO CPF DO FUNCIONÁRIO
    * PLANOS DE 12 E 24 MESES
    *Redução da velocidade após 2GB de tráfego, enquanto a OI,TIM e CLARO, reduzem após 1 GB

  6. Anonymous

    Dedetizadora Cristal

    A 3 anos no mercado especialista em eliminação de baratas, cupins, pulgas, ratoss, e formigas. Atendemos
    empresas e particulares, cobrimos qualquer oferta.
    Ligue agora: 5631-5788-3431-2552/ 8686-1502.
    ou seu e-mail- dedetizadoracristal@gmail.com

  7. Anonymous

    PRA SUA SAÚDE TEMOS QUALIDADE

    PLANOS SAÚDE
    Invidual, Familiar, Empresarial

    COM BAIXOS CUSTO PARA VACÉ E SUA FAMILIA

    TEL (11)3255-3600/3151-3527/3258-5377

  8. Favor informar o nome, telefone e e-mail de um profissional do departamento de projetos ou desenvolvimento de produtos para contato!

  9. Conheça o Portal que localiza Vidros e Peças automotivas

    http://www.mercadodovidro.com.br

    Vidros e borrachas
    Vidros blindados
    Maquinas de Vidros
    Vidros Importados
    Qualquer produto em qualquer lugar …….Acesse

    Cadastre sua empresa e venda…….muito !!!!!!!!!
    MAIS …MUITO MAIS

    FAÇA UM TESTE GRATUITO DURANTE 60 DIAS

    EQUIPE
    MERCADODOVIDRO

  10. Consultoria em Planos de Saúde e Seguros.

    Trabalhamos com as melhores Operadoras.

    Calcule o valor do seu plano de saúde, e receba as cotações no seu e-mail.

    Acesse: http://www.jcplanosdesaude.com.br , ou fale com um consultor – Fone: 011 4102-5510 – 7727-7110

  11. ASSUNTO: SP

    NOME:…IDEAL PLANOS DE SAÚDE
    CONTATO:…IDEAL PLANOS DE SAÚDE – DEPTO:…Outros
    CIDADE:…São Paulo – UF:….
    E-MAIL:……ricardoplanosdesaude@globo.com
    DDD:…….11 – FONE:2772-4351\77450158 NEXTEL
    MENSAGEM:…….Consultoria em Planos de Saúde e Seguros. Trabalhamos com as melhores Operadoras. Calcule o valor do seu plano de saúde, e receba as cotações no seu e-mail. Acesse: http://www.idealplanosdesaude.com.br , ou fale com um consultor – Fone: 011 2772-4351 Plantão até 22:00 hrs.

  12. Olá, gostaria de propor uma forma de cativar melhor os seus clientes e visitantes: montando um bar de coqueteis nao alcoolicos num ponto estrategico da sua loja. É mais barato do que você imagina e dá muito mais resultado do que balões, pipocas e algodao doce!
    Já temos clientes satisfeitos como Dutra Veículos, Amazonas, Itororó entre outros.
    Entre em contato e saiba mais. Implante essa novidade na sua empresa!
    Atenciosamente,
    Paulo Monteiro
    Mais Bar
    http://www.maisbar.com.br
    (11) 7866-7660 / ID Nextel: 82*16040

  13. Anonymous

    Procurando um plano de saúde ?
    Ligue já tel. 2942-5400
    Temos Planos De Saúde pra Você, sua Família e Empresa.
    Não perca tempo e Ligue já TEL. 2942-5400
    Teremos o prazer em atendê- lo (a).
    Tel. 11- 2942-5400

  14. A cada dia aumenta a necessidade das instituições cuidarem de sua imagem e natureza, mostrando-se éticas e capazes de responderem aos desafios de nossos tempos.
    Todas as instituições (empresas, igrejas, biológicas, do direito, etc) precisam ter profissionais formados para superar os limites do sistema econômico atual.
    Pensando nisso, que o curso de filosofia da Universidade Metodista de São Paulo, além de formar professores e professoras de filosofia, está formando filósofos e filósofas, capazes de atuar nas mais diversas áreas da sociedade, transformando as intituições e mostrando como é possível superar os limites impostos pelo modelo de sociedade atual, que está em crise.
    O curso está com inscrições para o vestibular abertas, aproveite!

  15. VIDRAÇARIA STAR GLASS

    – ENVIDRAÇAMENTO DE SACADA

    O Envidraçamento de Sacadas, Varandas e Ambientes é uma solução extremamente elegante, prática e segura que permite ampla visão, proteção contra ações do tempo, redução de ruídos externos, de fácil limpeza e manutenção, e o melhor: possibilita a abertura total ou parcial dos vidros, valorizando o ambiente como você nunca imaginou.

    Vantagens:
    – Otimização de ambientes;
    – Não altera a fachada do edifício;
    – Ajustável a diversos formatos;
    – Redução de ruídos externos;
    – Ótimo custo-benefício.

    NOSSOS SERVIÇOS
    – Box
    – Espelho
    – Sacadas
    – Fachadas
    – Cobertura
    – Decorações de Vidros

    FONE: (11) 3431-1659 / (11) 8950-8623

    E-MAIL: contato@vidracariastarglass.com.br

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s