Monthly Archives: June 2008

Critique of Pure Reason – Kant (Kemp Smith ed)

http://humanum.arts.cuhk.edu.hk/Philosophy/Kant/cpr/

Advertisements

Leave a comment

Filed under Books, Critique of Pure Reason, Kant, Kemp Smith, Philosophy

Theodor Adorno – Sobre Sujeito e Objeto

1

Em se tratando de considerações sobre sujeito e objeto, a dificuldade consiste em indicar do que se deve propriamente falar. É notório que os termos são equívocos. Assim, sujeito pode referir-se tanto ao indivíduo particular [einzelne Individuum] quanto a determinações gerais; de acordo com os termos dos Prolegômenos kantianos, à consciência em geral. Continue reading

Leave a comment

Filed under Adorno, Object, Philosophy, Self, Subject

Erro e alienação – Bento Prado Jr.

Erro e alienação
BENTO PRADO JR.

Em memória de Gérard Lebrun, cidadão honorário de São Paulo (1)

“La vraie philosophie se moque de la philosophie” (2) Blaise Pascal

Há dois ou três meses, tomava notas a respeito de uma questão que me obseda há tempos, e à qual já consagrei inúmeras páginas, quando tive a triste notícia da morte de Gérard Lebrun. Voltei então a seus escritos e descobri, com uma injustificável surpresa -como falha nossa memória…-, o quanto meus temas e problemas atuais deviam às aulas ouvidas na rua Maria Antonia, há tanto tempo, na década de 60. É nos livros, então inéditos, sobre Kant e Hegel que vim a reencontrar, agora, uma interrogação contínua a que fui muito sensível, sem plena consciência de seu sentido, nas exposições que precederam a publicação. Em textos recentes (3), eu havia examinado algumas instâncias da confusão “categorial” entre erro, sonho, ilusão e loucura, recorrentes na filosofia contemporânea, a serem corrigidas (como deve ser corrigida a própria idéia de “erro categorial”) por uma revalorização do valor crítico da história da filosofia na estratégia geral do pensamento. Continue reading

1 Comment

Filed under Academics, Alienation, Bento Prado Jr, Kant, Mistake, Philosophy, Plato

Gérard Lebrun: Um pensador dialético – Roberto Romano

Gérard Lebrun: Um pensador dialético
Roberto Romano (*)
Nullius addictus jurare in verba magistri. (Hor. Epist. L. I i). Este preceito horaciano, de ordem ética e teórica, é difícil de acolher, dado que o trabalho filosófico enfrenta a tarefa de pensar a natureza, a sociedade humana, os deuses, a beleza, o verdadeiro. Neste oceano de problemas, raros são os intelectos que se arriscam sozinhos. Quase todos entram para uma seita que os ajuda na elaboração do raciocínio. Continue reading

Leave a comment

Filed under Dialetics, Lebrun, Philosophy, Roberto Romano

A ATUALIDADE da FILOSOFIA – Teodor Adorno

A ATUALIDADE da FILOSOFIA (1)

Theodor W. Adorno

Quem hoje em dia escolhe o trabalho filosófico como profissão, deve, de início, abandonar a ilusão de que partiam antigamente os projetos filosóficos: que é possível, pela capacidade do pensamento, se apoderar da totalidade do real. Nenhuma razão legitimadora poderia se encontrar novamente em uma realidade, cuja ordem e conformação sufoca qualquer pretensão da razão; apenas polemicamente uma realidade se apresenta como total a quem procura conhecê-la, e apenas em vestígios e ruínas mantém a esperança de que um dia venha a se tornar uma realidade correta e justa. A filosofia, que hoje se apresenta como tal, não serve para nada, a não ser para ocultar a realidade e perpetuar sua situação atual. A Continue reading

1 Comment

Filed under Adorno, Culture, Philosophy, Present, Sociology

TEORIA DA SEMICULTURA* – Theodor Adorno

O que hoje se manifesta como crise da formação cultural não é um simples objeto da pedagogia, que teria que se ocupar diretamente desse fato, mas também não pode se restringir a uma sociologia que apenas justaponha conhecimentos a respeito da formação. Os sintomas de colapso da formação cultural que se fazem observar por toda parte, mesmo no estrato das pessoas cultas, não se esgotam com as insuficiências do sistema e dos métodos da educação, sob a crítica de sucessivas gerações. Reformas pedagógicas isoladas, indispensáveis, não trazem contribuições substanciais. Poderiam até, em certas ocasiões, reforçar a crise, porque abrandam as necessárias exigências a serem feitas aos que devem ser educados e porque revelam uma inocente despreocupação frente ao poder que a realidade extrapedagógica exerce sobre eles. Igualmente, diante do ímpeto do que está acontecendo, permanecem insuficientes as reflexões e investigações isoladas sobre os fatores sociais que interferem positiva ou negativamente na formação cultural, as considerações sobre sua atualidade e sobre os inúmeros aspectos de suas relações com a sociedade, pois para elas a própria categoria formação já está definida a priori. Continue reading

3 Comments

Filed under Academics, Adorno, Anthropology, Critics, Culture, Philosophy, Semiculture Theory, Social Sciencses, Sociology

A IDÉIA DE HISTÓRIA NATURAL – Theodor Adorno

A IDÉIA DE HISTÓRIA NATURAL(1)

Theodor W. Adorno2

Talvez posso antecipar que a minha fala não é uma “exposição” em sentido próprio, nem uma comunicação de resultados ou uma elaboração sistemática conclusiva, e sim algo que se situa no plano do ensaio, como um esforço de acolher e levar mais longe a problemática da denominada discussão frankfurtiana. Sou consciente do quanto se aborda mal essa discussão, mas também de que seu ponto central está corretamente colocado, e seria falso começar novamente tudo do princípio. Continue reading

1 Comment

Filed under Adorno, Critical Theory, Critics, Culture, Natural History, Nature, Philosophy