Sonic Youth – Icinerate

Acordou com o despertador. Todo dia o despertar com o mesmo som. Mesma tonalidade. Não adiantava modificar o toque do celular: o rugido mecânico soava como um samba de uma nota só: mais do mesmo.

TInha deixado de tomar café faz tempo. Esquecia. Ou melhor, trocava por alguns minutos na cama que, também, tinham de ser planejados. 23h40, antes de deitar contava os minutos. 15 para acordar, outros 15 para cochilar, 15 para arrumar as coisas, 15 para tomar banho – levava sempre o celular para o banheiro, a fim de evitar acidentes -, 5 para sair, literalmente, correndo até chegar no ônibus.
[um minuto de atraso para o ônibus eram 20 minutos de atraso para o trabalho]

Desta vez, acordou e ficou na cama. Era inverno e as janelas estavam embaçadas. O frio tem cheiro mas só conhece quem treme. Incrível. Menos para quem tem de acordar para sua jornada de trabalho.

Levanta, pois sempre deixa o celular tocando longe da cama para, assim, levantar. Não, não levanta. Deixa tocar. Para de tocar e volta o sono. Não dorme, mas sente o sono. O sono próximo, chegando… toca de novo. Agora tem de levantar.

Sente bastante frio, espirra, escolhe a roupa.

Lembra, de sopetão, de todas as coisas do dia. Pegar ônibus, trabalhar, o que precisa estudar para a semana, para o mês, para o mestrado? O que falta para comer? Vai jantar em casa? Vai jantar? Vai estudar? Precisa de algo, ou não precisa? Precisa dormir…

Entra no banho. O quente nas costas é tão gostoso que dá vontade de deitar-se no box – não fosse todo o resto gelado. Fica ali um tempão… cai água nas costas até que escuta o despertador. Ele toca até parar – já devia ter saído, vai perder o ônibus, vai atrasar, vai tomar esporro do chefe, vai ganhar desgosto dos colegas… corre. Não lava o cabelo para não perder mais tempo.

Veste-se correndo, meio molhado, meio seco, coloca a roupa e vai direto prá rua. Sente o bafo gelado no rosto e no nariz: fecha a jaqueta e começa a correr.

Correndo vai, também, abrindo a jaqueta. Do bafo gelado, sente o interior pegando fogo: começa a suar. Está suando e quase chegando. Dobra a esquina correndo e escuta o ônibus. Um motor. Será seu ônibus chegando, partindo? Será outro ônibus? Vai chegar atrasado denovo? Peguei um livro prá ler? Qual livro peguei?

Sobe as escadas depressa……….

 

Leave a comment

Filed under Anguish, Incinerate, Music, Poetry, Sonic Youth, YouTube

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s