Monthly Archives: July 2008

Radiohead

Advertisements

Leave a comment

Filed under Indie, Music, Radiohead, Rock, YouTube

Filosofia e tragédia – Márcio Lima

 

 

 

 

 

 

Esta dissertação de mestrado visa a investigar o estatuto que

O nascimento da tragédia  assume na obra de Nietzsche a partir das análises que o próprio filósofo faz do livro no período tardio de seu pensamento. Examinando a maneira pela qual suas teses sobre o surgimento da tragédia na antiguidade grega se filiam à metafísica da vontade de Schopenhauer, procuramos compreender as interpretações posteriores de Nietzsche, quando ele já havia rompido com seu mestre de outrora e já o tomara como alvo de suas críticas. Nesse contexto, Nietzsche pretende retornar às suas teses sobre a tragédia grega a fim de imiscuí-las na face afirmativa de seu último e mais ambicioso projeto: a transvaloração de todos os valores. Avaliando esse procedimento nietzschiano de retomar seu primeiro livro a partir de várias leituras, investigamos as razões pelas quais essas interpretações revelam ambigüidades. Num primeiro momento, procuramos demonstrar que, tendo entrelaçado suas intuições próprias à filosofia pessimista de Schopenhauer, as avaliações de  O Nascimento da tragédia  devem passar pelo crivo da autocrítica. Dado esse passo, pesquisamos como Nietzsche doravante trata do livro, fazendo emergir dele a face positiva, ou seja,  transpondo o dionisíaco em pathos filosófico, de modo a justificar a sua afirmação de que  O nascimento da tragédia foi a sua primeira transvaloração de todos os valores.

Faça o download do texto aqui

Leave a comment

Filed under Birth of tragedy, Marcio Lima, Nietzsche, Philosophy, tragedy

Teoria Nietzscheana da tragédia – José Weber

Tendo como referência

O Nascimento da Tragédia de Friedrich Wilhelm Nietzsche, busca-se explicitar a particularidade da concepção nietzscheana de tragédia a partir de um duplo movimento: 1) Reconstrução das principais teses dos primeiros parágrafos da obra; 2) Demonstração da vinculação daquelas teses à tradição estética alemã do final do século XVII e do início do século XIX. Com isso se realça e reedita o diálogo intenso de Nietzsche com aquela tradição e se mostra as inovações e a radicalidade da sua interpretação da tragédia. 

 

Download do texto aqui

Leave a comment

Filed under Nietzsche, Philosophy, tragedy

Epistemologia: uma entrevista

  1. Bachelard foi um epistemólogo francês e uma das teses que ele defende é que a relação entre o conhecimento científico e o senso comum se dá através de uma ruptura, ou seja, a relação entre eles não é de uma continuidade. Quando, por exemplo, um leigo em biologia pensa sobre vida, para Bachelard, seria algo completamente diferente de quando um biólogo, em seu laboratório, pensa também, a palavra vida. Embora sejam a mesma palavra, denominariam coisas completamente diferentes. Então, em que medida a biologia realizaria esta ruptura? Continue reading

2 Comments

Filed under Carolina Terra, Epistemology, José Leonardo Ruivo, leonardo Jorge

O que é a psicologia para Nietzsche? – Aline Nascimento

Este trabalho tem como objetivo buscar uma compreensão do que é a psicologia para Nietzsche tendo em vista que, em diversos momentos da sua obra, a palavra psicologia aparece e aponta caminhos que se entrecruzam com uma crítica à filosofia, à moral, à religião e à ciência. Para tanto, o filósofo utiliza, como critério de avaliação, os conceitos de força e fraqueza, saúde e doença e busca, como psicólogo, investigar e diagnosticar a saúde de uma cultura a partir dessa base, pautado na arte de interpretação dos sintomas manifestos na vida. Neste sentido, após caracterizarmos a força do povo helênico através da tragédia grega e seu declínio, com a introdução da metafísica socrática como opositora à vida, buscamos compreender os efeitos desta oposição no modo de ser do homem ocidental. Posteriormente discutimos os desdobramentos da metafísica no plano da moralidade, onde a psicologia surge como reprodutora deste ideal, isto é, presa a temores e preconceitos morais. Seguimos, então, a proposta de uma nova psicologia, pautada em outros valores, mais próximos da vida, em sua forma plena, ou seja, entendida como vontade de potência. Para tanto, o método que nos guia neste percurso é a genealogia, que, ao indagar as condições e circunstâncias nas quais os valores surgem, aponta para a vida como avaliadora, tendo o homem como instrumento de avaliação da mesma. Ao psicólogo cabe avaliar e interpretar a vida estampada na visão do homem, e, portanto, na cultura surgida através dele. Neste novo percurso, busca afirmar o trágico como condição de uma existência saudável, não mais pautada no bem e no mal, mas para além do bem e do mal.

 

Download do texto aqui

 

Leave a comment

Filed under Nietzsche, Philosophy, Psicology

CULPA E MÁ CONSCIÊNCIA EM NIETZSCHE E FREUD – Eduardo Sugizaki

 

 

 

Parte-se das interrogações de Nietzsche e de Freud sobre a agressividade do animal homem. Pela via da epistemologia francesa, procura-se colocar essas interrogações no solo comum do nascimento das ciências da vida. Procura-se levantar as conseqüências que o Estado, na obra de Nietzsche, e a civilização (

Kultur), na obra de Freud, trouxeram em termos de alteração da agressividade humana. Apesar da diversidade de caminhos, as obras dos dois autores tangenciam-se na idéia de que a agressividade que não pode ser manifestada livremente, pela pressão do Estado ou da civilização, retorna para dentro do indivíduo e contra ele próprio, produzindo o que Freud chama de culpa e o que Nietzsche chama de má consciência moral. A via de Freud, diferentemente da de Nietzsche, atravessa a idéia de instância da mente. Em ambos os autores, uma referência ao estágio primitivo da evolução humana é determinante.

Download do texto aqui

Leave a comment

Filed under Conscience, Freud, Nietzsche, Philosophy, Psicology, sugizaki

Introdução à Crítica da Filosofia do Direito de Hegel – Karl Marx

Download do texto na íntegra aqui

Leave a comment

Filed under Hegel, Justice, Marx, Philosophy, Right