Notas de Leitura: “O Mozart de Elias”

Elias, Norbert.   Mozart : sociologia de um gênio.  Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995, c1994. 150 p.

Sinopse: O livro traz à tona um Elias apaixonado por música. O cientista social aplica seu enorme poder de percepção a este caso de conflito trágico entre criatividade pessoal e uma sociedade que queria controlá-la. Na opinião de Elias, a música é indissoluvelmente ligada ao tipo de sociedade e à época em que ela é produzida. A obra apresenta, assim, uma bela descrição do relacionamento arte-sociedade no século XVIII, a partir do brilhante estudo sobre a vida e o gênio criativo de Wolfgang Amadeus Mozart.

Notas (digressões)

1. Mozart, embora altamente qualificado para a sociedade de seu tempo, não encontrava possibilidade de vida nela uma vez que era (i) jovem demais, (ii) não envolveu-se com uma ideologia majoritária, (iii) (talvez em decorrência da última) nunca constituiu suas regras de comportamento (seu habitus) ou como membro da sociedade de corte ou como pequeno-burguês (com as qualificações de elias para este termo).

2. O papel do pai e da família: o papel da psicologia em comunhão com a antropologia serve para determinar questões que a sociedade em geral e, a família, enquanto microcosmo social, impõe ao sujeito. Relação com Lacan (o estádio do espelho): o sujeito vive uma disputa infinita entre o internalismo e o externalismo -> do self mais profundo (coisa em si kantiana) à representação social (o espelho, ‘o grande outro’)

3. Sublimação: constitui-se a partir da teoria freudiana e relaciona-se, também, com a teoria do reconhecimento. Naquela, se dá na unidade entre ego, id e superego (reconhecimento absoluto, do self ao espelho) enquanto na última se dá a partir da não-alienação, ou melhor, da produção de uma subjetividade de forma objetiva [daí sua importância para qualquer teoria da produção artística]

4. Sociedade de corte/constituição de habitus/alemanha entre XVII e XVIII: relação com a produção cultural francesa. Atraso da música frente a literatura e a filosofia. Qual a relação entre a cultura em conjunto amplo? Caráter da etiqueta. Arranjo do estilo. Mozart enquanto arranjando notas e sons de seu tempo, inovações ainda dentro da mesma configuração (uma configuração modifica-se? como?)

5. Teoria Crítica: leitura matinal. Teoria crítica trabalha com o processo de como as coisas são e de como as coisas deveriam ser. Nesta duplicidade, Elias consegue elaborar uma biografia que apresenta como a vida de Mozart foi remetendo à possibilidades e impossibilidades de configurações sociais anômalas.

Advertisements

Leave a comment

Filed under Mozart, Music, Norbert Elias, Philosophy, Psicology, Readings, social psicology, Sociology

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s