Category Archives: Love

C’est tout ce qui nous reste

from1.jpg No seminário do ano de 1964, Lacan fez da transferência um dos quatro conceitos fundamentais da psicanálise, ao lado do inconsciente, da repetição e da pulsão.Definiu-a como a encenação,através da experiência analítica,da realidade do inconsciente. Esta perspectiva levou-o a ligar a experiência à pulsão.” (E. Roudinesco e M. Plon,”Dicionário da Psicanálise”,Mem Martins, Ed. Inquérito, 2000,p. 755).

O conceito de transferência tem suas primeiras ocorrências nas obras de Freud de 1894, “As neuropsicoses de defesa” e, de 1895, na obra “Estudos sobre histeria”, cap 4. Ele é utilizado para explicar fobias e idéias obsessivas pressupondo que: i) a força desta representação é através do afeto ligado a ela; e, b) representações fortes exigem trabalho (de descarga) à mente, enquanto fracas fazem pouca ou nenhuma exigência. Continue reading

Advertisements

Leave a comment

Filed under Lacan, Love, Nietzsche, Performance, Plato, Psicology, Psycanalisis, Transference

A insustentável leveza do ser – Kundera

Capítulo 17

KunderaDesde o primeiro dia de ocupação que os aviões russos se cruzavam durante toda a noite no céu de Praga. Tomas desabituara-se do barulho e não conseguia adormecer.

Virava-se na cama, ao lado de Tereza já a dormir, pensando no que ela lhe dissera há vários anos no meio de uma conversa banal. Estavam a falar de Z., um amigo de Tomas, e Tereza declarara: ”Se não te tivesse encontrado, tinha me apaixonado por ele.” Continue reading

Leave a comment

Filed under A insustentável leveza do ser, Anguish, beethoven, Literature, Love, Memory, Milan Kundera, Quotes, the Unbearable Lightness of Being, Time

Despedida(?)

049.jpg

Samba triste

(Baden Powell e Billy Blanco)

Samba triste
A gente faz assim:
Eu aqui
Você longe de mim, de mim
Alguém se vai
Saudade vem
E fica perto
Saudade, resto de amor
De amor que não deu certo
Samba triste
Que antes eu não fiz
Só porque
Eu sempre fui feliz, feliz, feliz, feliz
Agora eu sei
Que toda vez que o amor existe
Há sempre um samba triste, meu bem
Samba que vem
De você, amor

3 Comments

Filed under Anguish, Desire, Life, Literature, Love, Poetry, Samba